sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Previsível...

Não sei…
Sempre que olho o impossível,
atrevo-me além da noite.
Apresso o passo, sigo em frente,
penso comigo… Previsível
é o brilho no olhar,
mesmo que a sombra pernoite;
no seu rosto.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Originalidade de um número…

Tudo igual!
Só o ínfimo marca a diferença,
número redondo no calendário.
Desejam se as estrelas, o sol e a lua…
Mas a maré rasa na praia,
E amanhã é apenas mais um dia de inverno.
Onde a novidade está no chorar das pedras!
Só elas sabem e se encaixam para além do dia,
e que a primavera ainda tarda.
Por isso mesmo aguardam …
Pelas andorinhas nos beirais.

Assim eu soubesse:
que o solstício da alma,
nem sequer está na novidade,
de um número que mudou.


Silencio…!

Reina, invisível… Nem as paredes sabem  a cor. Ou o cheiro do seu eterno bafo. São tantas as nuances que não cabem na casa desventra...