domingo, 21 de maio de 2017

Vila Viçosa (Décimas)

Mote ( Sr. Venâncio)
                                            
Com artes e culturas
À história pertences
Grupo de enormes figuras
Ilustres Calipolenses

I
De branco anda vestida.
Princesa, menina, mulher!
Em pétalas de bem-me-quer.
A sua beleza é vivida.
Em mármore é pedra esculpida.
Berço de honrosas bravuras.
Na ponta da espada, lonjuras…!
Dando ares a laranjeira.
Vila Viçosa é pioneira:
Com artes e culturas!

II
A sua herança é de mestre.
No rol tem doutores e pintores.
Foi até berço de nobres.
Valentia que enaltece.
Em memórias que reparte.
Nas ameias do castelo.
Os papiros são novelo.
Que me deixam a cismar:
Este cunho é de encantar.
À história pertences…

III
Donzela de olhar trigueiro.
Airoso traje a rigor.
O laranjal em flor;
é pajem namoradeiro!
E se o tempo é passageiro,
o sol é calmaria.
Meus amigos quem diria!
Ergue-se das calçadas o grito:
Vila Viçosa é talento.
Grupo de enormes figuras!

IV
Aqui; nasceu Florbela.
Rainha da poesia!
O seu dote é nostalgia.
E há muito que é janela.
Seus versos são a ruela
Porta de entrada do mundo.
Mas que legado fecundo.
A par com o Passo Ducal.
Estandarte de Portugal.
Ilustres Calipolenses!





quinta-feira, 18 de maio de 2017

Sol de Verão...

Hoje olhei uma nuvem no céu e vi o teu rosto!
Sereno e gentil, como, só tu sabes ser.
Nas asas do vento senti o teu cheiro,
e nas flores amarelas que matizam as cearas,
o teu sorriso aclarou o dia.

És a rocha que ampara o cerne do ser.
És o chão ou o rio, meu bem-querer.
És o amor e o sol de verão.
Se até nas lembranças, tu és a paixão.

Que ilumina os meus passos.