Outros autores

Liliana Jardim
Insensatez

 


Procuro-te….por ai
Na alameda das verdades
Onde as palavras enevoadas
Obscurece o purpurino sol

E na frincha entreaberta da noite
O anjo chora, desmistificado.
Cobre-se de pranto a sua tez
Na igualdade díspar
De ser o que é
Insensatez.

António MR Martins
Beirais

o grão
que a asa
culmina
se vislumbra
na ave

cantada pelo bico
a melodia
temperadora

um cismar
esvoaçante
que nesse voar
se grave

num voo
sem adoçante
................................

Maria do Rosário Loures
Inverno

Aqui onde eu moro
deixo entrar as andorinhas
no inverno pelas minhas janelas
cá em casa habita a primavera
os meus vasos de flores
transformam-se em mimosas,
com flores de várias cores,
outros em eucaliptos,
todos de tamanho apropriado,
que em vez de agua beberem
alimenta-se do fumo dos cigarros
que vou fumando
cá em casa habita a primavera
a escuridão do dia lá fora
não entra na minha casa
porque
no inverno
aqui onde eu moro
só as andorinhas
entram pelas
pelas minhas janelas
...........................

Maria Antonieta Oliveira

Quero dormir

Quero dormir!
Sim,
quero dormir,
envolta em lençóis de linho,
na penumbra
do quarto perfumado.
as pétalas de rosa
rodeiam meu corpo desnudo...
Pétalas de multicores,
enviadas por meus amores...
Nelas perfumo meu ser,
no desejo de te querer.
Quero dormir!
Embalada no sussurro de ti,
abraçada ao amor que sorri...
um beijo mutuo
deslizando
no percurso do ser...
Quero dormir!
Sim,
quero dormir
e neste sonho viver!
.........................


Ana Coelho
Vagabundo dos sentidos

O poeta é
um salteador de emoções
vagabundo dos sentidos,
sem abrigo
pelas nuas palavras
que descodifica em cada imagem.
Marginal sem lei
grande escultor das sensações
no silêncio das sílabas
que vestem o pensamento.
Com o imaginário solto
no cume da utopia,
um mundo cego
com os olhos fecundos
da liberdade
acariciada em cada estrofe
tantas vezes puramente desenhada
na essência que navega
nos gumes da veracidade!

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...