domingo, 29 de julho de 2012

Raciocínio


Pobres almas aquelas
Que julgamos inferiores
Acabam por ser julgadas
Tenham ou não valor

Tardou o raciocínio…Tardou
Compreensão inacabada, palavras em atropelo
Quem sabe é o amor novelo
De aflições, furor de alma vencida
Vencida na vida contida sem abrangência

Pobres almas aquelas
Que tentamos rotular
Que não vemos as mazelas
Mesmo dizendo amar.