sábado, 26 de outubro de 2013

Anoiteceu


As evidências ultrapassam as certezas
Ai de mim ao vislumbrar a conclusão
Rodopio em espojinho de incertezas
Remoendo em debanda a ingratidão

Mas na vida nem tudo é luzente
De que vale perder tempo que não tenho
Ontem era criança impertinente
Hoje acontece, me sinto lenho

Que arde na fogueira do ciúme
Daquilo que nunca aconteceu
Mas que lida para quê o queixume
Se amanhã serei pó, anoiteceu.


Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...