sábado, 9 de agosto de 2014

Deixa-me dormir...

Alarido. Porquê?
Pergunto eu.
Se para trás deixaste
todos os sonhos,
que eram teus.
Despertaste,
razão que desconheço.
Apenas porque me tens, 
por posse.
Mente distorcida.

Já agora,
deixa-me dormir
deixa-me fingir
que me fui.

E tu. Esvaíste...


Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...