sábado, 9 de março de 2013

Paciência




Um pé no ar outro no chão
Até parece acrobata
Num segundo de raspão
A vida sucumbe ou escapa

Nas perguntas sem resposta
Esta é uma delas
Que levamos da existência? Um rio de barrelas…

Levamos também amor, o que conseguimos dar
Carinho, alguma cor a que conseguimos sacar
Ao nublado dos dias, arrelias contradições
No meio a fantasia de muitas, muitas paixões.

É assim a existência
Não há volta que se dê
Na vida muita paciência
Para enfrentar o porquê.

Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...