domingo, 31 de março de 2013

Páscoa 2013




Na pedra fria o sinal dos passos
Esculpidos pelo sofrimento
Por entre medos e embaraços
Na pedra fria o tormento

Que o gentio transporta
Numa sacola invisível
Mendiga de porta em porta
Por entre luxuria exequível

E a pedra apenas memória
De era em era transita
Gravada no veio a história
De grande ou parasita

Portugal na chuva que cai
La fora em dia de Páscoa
Afoga ou quem sabe distrai
A fome que agora passa

Ali na ombreira da porta
Na entrada de um prédio antigo
Onde um pedinte aflora
O que foi grandioso postigo.