sexta-feira, 22 de março de 2013

Tenho Fome



E a fome que eu tenho não me pesa no estomago
São os sonhos que escasseiam nesta terra de ninguém
Não sei se ando ou se vou a reboque, perdi o âmago
O cerne da existência ficou além da certeza
Só o restolho me entende, e o tempo que está tao longe
Quando volta?

As noites no canto da chaminé
Historias que levitam nas chamas
Estranhas memórias em viés
Estranha a fome nas entranhas

Tenho fome
A fome de um país em transe
Na deriva que assim afunda
A vida, a sorte, o sonho
Tenho fome… Grito ao tempo que me acuda.

Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...