segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Acordo




Cuido que não sei doida verdade
O tempo, inimigo incontrolável
Corre, corre, corsa indomável

Sorte, ou morte momentânea
Melancolia, o amor que está longe.
Rude, a precisão que então escasseia

Caminho entre mim e o singelo
Momento quantitativo ou paralelo
Acordo e redescubro, lerda saudade.

Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...