domingo, 1 de maio de 2016

Não digas nada

Se me aproximar de ti presta atenção
ao meu rosto. Mesmo fechado, sorrirá.
Como quem ri para a vida e por condão,
tropeça…. Numa flor que se abrirá.

Gosto de ti. Estranha contradição
é esta forma de amar. O que faltará
para que as estrelas em abolição,
guiem na cauda o alento que suportará…

Todos os sonhos ao luar. Se me aproximar,
será porque afastei a sombra do entardecer,
e com ela se foi o silêncio. Se me aproximar:

Não digas nada, sorri e deixa acontecer,
todos os anseios que estão por acarinhar.
E quem sabe no teu peito possa adormecer.

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...