quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

O sol do teu olhar…

Fugaz!
És tu… Meu amor a inventar, estrela da manhã.
Labirinto, onde os sentidos se perdem.
Olhos de terra, bagos de romã madura!
És tu!...

A sombra que procuro, quando ando por aí!...
O desejo de fazer, de ir além…
Onde o dia possa ter, significado.

Veloz…Sou eu… com as palavras!
Nuances esverdeadas, até a sombra.
Que segue empurrada; pelo sol do teu olhar…

Peço ao sonho, mesmo fugaz…
A promessa de comandar a alma.
Mesmo que o tempo passe de fugida…
Já que os teus olhos são pirilampos.
Nas noites sem luar!


Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...