terça-feira, 11 de abril de 2017

Sonhos sem limites...

Até na contemplação das estrelas:
Desenho os teus olhos a tinta china.
E era vê-los… Era vê-los como velas…
Encabeçar o sentir p`ra além da colina.

A Ursa Maior… rainha das caravelas,
é tão antiga mas parece uma menina,
ao pé dos teus olhos…! Até os cometas
correm sempre apressados e era vê-las…

As lembranças, a bailar numa só noite.
Em que o céu beijou a terra, atrevido.
Em que o vento suave e em deleite…

Abriu as asas, sempre convencido…
Se os sonhos erram sem qualquer limite.
É porque o tempo é um marco estabelecido