segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Contigo falo de amor.


Contigo falo de amor.
Mesmo quando estou zangada
Contigo falo de dor
Outras vezes falo de nada.

Palavras repito no vento
Meu amor, és vida minha
És meu sol o meu alento
Minha chuva miudinha.
Meu amor, és guardador
Do acordar na madrugada
Das lágrimas de tudo e nada
Do rir, e do meu clamor.

Júlia Soares (pseudónimo) Poema do livro Em Paralelo






Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...