segunda-feira, 23 de novembro de 2015

No espelho...

Por vezes…
Sente-se uma perfeita idiota;
envolta em mil véus de vislumbre.
Desce à terra, e olha o espelho.
Mas não se reconhece!
Nem à idiota com a qual se confunde;
torna a olhar, ela partiu…
A idiota partiu!
No espelho… A sombra do que foi!


Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...