terça-feira, 1 de novembro de 2011

Foi assim

Quando imaginei que não pensava
o pensar ficou rabugento
 atordoo-me o pensamento
colou-se por entre os olhos.
À boca saltou-me por entre os dedos
impávida acomodei-me no sereno
de um pensamento ameno
a tua imagem na minha pele saltitava

Foi assim ainda há pouco…

Quando sinto esvaziar
a mente corro a avivar
de versos corridos, fugidos.
Assim reavivo os sentidos
os dias percorridos. Tornados
ao peito enfim, suspenso pedaço de mim.
Uniforme é o frenesim
que verte sonhados abraços e assim
descaio por fim em teus braços.

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...