quinta-feira, 25 de abril de 2013

Portugal em Liberdade




Que não me roubem os cães a vontade de lutar
No seu latir esfaimado em carcaça assomando.
Não me roubem ecos perdidos no tempo
Que a memória até traiu
Horizontes. Planícies imensas que o sonho construiu
Não me furtem a essência que Abril aflorou
Muito menos se elevem em desmando
Ao que o povo conquistou

Gente do meu país nos mortos buscai a força
A história a dianteira, soltem-na feito corça
Tal a vez primeira de um tempo de cravos rubros
Sonhos em ombros libertos, Seara sulcada em versos
Gemidos de um moribundo

Gente do meu país
Neste Abril de vontade
Não esqueçam quem sempre quis
Portugal em Liberdade 

25 de Abril 2013. Antonia Ruivo.


Mulher atrevida...

Mulher atrevida… Não sei se é sonho ou se é esperança .   É um sentir agreste, uma força viva .   Até quando dorme pode  ser crian...