quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Por um momento...

Porque me olhas lua transparente?
Se no passar dos dias o sol se afasta,
nas pedras desnudas e frias que o tempo vaza.

Até o chilrear dos pássaros é incolor;
e o cinzento toma conta da alma!
Estranha é a maré onde escasseia a onda,
como estranha é a vida em roda-viva.
Onde o tempo de amar fica distante!

Então…porque me olhas lua vadia?
Palco de amores impossíveis…
Esquece por um momento as conversas
e traz ao descampado da praça,
uma quimera longínqua.


Foto: Pintura de Renso Castaneda.



Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...