quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Desconheço...

Estou cansada, um cansaço insano!
Uma dor, a saudade, a falta de cor.
Um dia sem sonhos, ou sem amor.
Uma vida onde perdura o outono!

Até a chuva me faz companhia, inglório…
É este meu jeito de ser! Queria ser actor…
Com um palco e um pequeno tambor.
Onde martelasse um sopro irrisório.

Mas não… perduro além do tempo!
Onde o tempo é o melhor aliado.
Mas mesmo assim esquece alegria!

Deve ser desta chuva e da ventania…
Que se abate neste final de dia.
Deve ser… e mesmo assim desconheço!