quinta-feira, 27 de março de 2014

Esqueço


 Fogem os versos por entre os dedos
esquecida de mim, esculpo os medos.
Perdi a vontade de sonhar

Esqueço que o sonho
é que abre as portas
que a dor é refúgio
Para não pensar.
Esqueço que o tempo
não tem tempo
sempre que me perco
no lamentar.


Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...