sexta-feira, 21 de março de 2014

Hoje escrevo...


O verso genuíno brota no céu estrelado
Da inocência das crianças
De um velhinho curvado
O verso genuíno nasce na alma pura
Dos anseios ou alianças
Que promovam a ventura

Cresce em campo aberto
Levando a palavra certa
Ao coração encoberto
P`lo vazio ou p`la errata
Da correria apresada
Que da vida nós fazemos
O verso genuíno
Bola de fogo que aquece
O gelo do inverno


Para tal. Basta querermos. 


Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...