domingo, 10 de abril de 2016

Não me parece...

Se escrever de amor: serei levada a sério?
Ou de sexo, pelo prazer do sexo?
Não me parece,…até as sombras tem medo
de olhar a claridade!

Deveria ser o contrário:
sombra, atrair a luz e, vice-versa.
Numa terra onde quem tem olho é rei,
é preciso pensar… mas nunca além da conta!

Estou cansada de mendigar palavras,
que não entendo.
Quero o meu quinhão à luz do dia.
Estou cansada de amores impossíveis,
onde abunda o sexo dos anjos.
Utopia impropria ao sonho.
Estou cansada, pelo prazer de estar cansada,
de mim!

Agora… se falar de amor serei levada a sério.
Não me parece…
Numa terra onde quem tem olho é rei,
resta o delírio... aos imperfeitos…

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...