domingo, 6 de janeiro de 2013

Sou




Piolho pegadiço, sol de pouca dura
Algo enjeitado p`la sorte ou ventura
Alma penada rajada do norte
De força esvaída mas com algum porte

Sou

A sombra  no olhar do espelho incrédulo
Sempre que confronto esta realidade
Sozinha na vida no mundo perpétuo
Contudo perdurando por louca vontade

Sou a outra metade é o que oiço dizer
Leviandade do verbo querer
Sou pedaço de mim e de ti assumido
Destroços no chão de um reino esquecido.

Queridos leitores e amigos. Este espaço nasceu em 2010, como tal, a lista de leitura está a tornar-se extensa, oito anos é muito tempo, sã...