terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Janeiro



Da sombra que cai neste Janeiro
Na brancura das casas caiadas
A ilusão que não chega
Fevereiro

Nas gotas de chuva o dia primeiro

Percorro ruelas da imaginação
Calçadas de pedra tão lisa
Meio-dia e não te encontro
 O dia prossegue nada de concreto

Nas gotas de chuva o ser encoberto
Nas gotas de chuva o cheiro a terra

Tenho no corpo as dores de um parto sem fim
Nos olhos a esperança que não chegue o (fim)
Nas gostas de chuva no mês de Janeiro
Vislumbro Fevereiro, meu amor primeiro