segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Dor de cabeça...

Vivo num reino engraçado.
Onde a memória é (piquena.)
Até o Centeno, coitado.
Tece o rosário em novena!

Primeiro, jurou que não:
Não senhor, nada de acordo.
Agora, a confissão…
É tremendo o sufoco!

Afinal, teve conversas…
Diz ele com cara de caso:
 Não passou de promessas,
pensei que não era pecado!

Agora é que são elas!
Que dor de cabeça, ó meu.
Tu já viste as barrelas,
em que a Caixa te meteu?





Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...