terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Amanhã...

Traz num sorriso, os instantes inacabados.
Os sonhos por habitar, colhidos ao nascer
numa qualquer saudade. Traz em sorrisos
Aloendros, ou moiras encantadas no viver.

Amores inesquecíveis, anseios roubados
ao cume da imperfeição. Imperfeito amanhecer
repleto de ilusão. Traz na manhã fria, brocados…
E aí, juro por deus, olhar como quem quer entender.

O infinito… Juro por deus, numa távola redonda
fecharei com selo de sangue a tristeza.
Que persegue as almas famintas, trancada,

será também a fonte de alguma lágrima moída.
Se trouxeres sorrisos acredita que a grandeza
do amanhã, soará a trinados na madrugada.

Foto Alfredo Cunha.



Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...