domingo, 10 de abril de 2011

Conversas


Quero conversas francas
Não me digam que em paredes brancas
Uma mancha branca não se vê

O branco não é raiz quadrada
Malha apertada
Anzol onde pende isco

Claro que sempre arrisco
Mesmo que seja arisco
O primeiro olhar

Conversas a desvendar
Outro ângulo, outro afirmar
Conversas pelo gosto de conversar.

Sempre que chamas por mim...

Deixo que o tempo apague a tua imagem. Aquela: que a chuva deixa na vidraça. No pensamento és nitida miragem. E  até as lágrimas são...