domingo, 10 de abril de 2011

Conversas


Quero conversas francas
Não me digam que em paredes brancas
Uma mancha branca não se vê

O branco não é raiz quadrada
Malha apertada
Anzol onde pende isco

Claro que sempre arrisco
Mesmo que seja arisco
O primeiro olhar

Conversas a desvendar
Outro ângulo, outro afirmar
Conversas pelo gosto de conversar.

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...