domingo, 10 de abril de 2011

Conversas


Quero conversas francas
Não me digam que em paredes brancas
Uma mancha branca não se vê

O branco não é raiz quadrada
Malha apertada
Anzol onde pende isco

Claro que sempre arrisco
Mesmo que seja arisco
O primeiro olhar

Conversas a desvendar
Outro ângulo, outro afirmar
Conversas pelo gosto de conversar.

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...