quarta-feira, 13 de abril de 2011

Não nos queira mais F…der...

Ó doutor Fernando Nobre
Uma dor que me atormenta
O senhor é pelo país
Ou é pela vestimenta

Mas onde fica afinal
O discurso dos defeitos
Se agora se mostra igual
Ou ainda com mais tentáculos

O povo é quem mais ordena
Foi assim mais ou menos
Já não tem que fazer novena
Mas afinal, ordenhemos

A vaca até dar leite
Quer é subir depressa
Não está pelo ajuste
Tanta pressa, tanta pressa

Ó doutor Fernando Nobre
Não tenha demasiada sede
Olhe, por acaso somos pobres
E ainda temos buracos na rede

O peixe pode ser miúdo
De jaquinzinho não passa
Mas sabe enxotar o graúdo
É é um ar que lhe basta

Tudo igual ,cheira mal
Essa sede de poder
Ó doutor não seja igual
Nem nos queira mais F…der