quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Bom dia

Se me disser bom dia
Fale baixinho
Não acorde as borboletas
Que todas as manhãs me visitam
Faça como elas e sussurre ao meu ouvido
As palavras que quero ouvir
No olhar coloque alegria
No sorriso traga  paz
Na mão aberta a certeza
De que mesmo na ausência
Se lembrará de mim

Se bom dia me disser
Fale com voz suave
Talvez ajude a esquecer
O que a alma enegrece.

Eu que não sou de promessas
As borboletas soltarei
Voarei nas suas asas
E bom dia lhe direi.

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...