domingo, 25 de dezembro de 2011

É Natal

É Natal…

É Natal
O sol acordou brilhante
Reparto-o contigo neste instante
Em que a paz me visita
Cabe-te a ti transportá-lo
Pelos meandros da vida
É Natal
Abre a janela e sorri
Estás vivo, sim

Apanha o raio de sol
Embrulha-te na sua magia
Faz do amor lençol
Não apenas neste dia

Repara com atenção
Em quem está a teu lado
Estende-lhe a tua mão
Num abraço apertado

É natal
Cabe a nós afinal
Distribuir a magia
O Natal só é ancestral
De fizermos da noite dia

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...