terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Amanhã...

 Não quero desistir do sonho
Certeza que hoje me enlaça
Pergunto aos pombos da praça
- Amanhã, que traz no regaço.
Inquiro as pedras, até os bancos
Vazios de gente, árvores em prantos
Acenam ao anoitecer
Pergunto o que fazer
Nego abdicar de ti
De mim do que está por vir
Quero o teu sorriso, enfim
O meu em passos de lã
Passeia na esperança sim








Máscara...

Sempre que adivinho a solidão alheia… É como se o espelho estivesse embaciado. E o meu rosto sugado por uma teia. Sempre que ...