terça-feira, 15 de julho de 2014

Perdão...

Peço silêncio pelos teus olhos quando gritam
- Amor…
Que se calem os rios, os pássaros, que os dias se escondam
Na penumbra que a noite traz estampada na lua
Que se calem as gotas de chuva e uma mulher nua
Silhueta imaginária, o eco da sua voz
Presságio insidioso e atroz
Peço silêncio por favor.

Não vá o tecto do mundo ruir
Nos soluços descabidos
Não vão ao teu lado emergir
Dunas que engolem gemidos.

Peço silêncio pelos teus olhos quando gritam
E escondem em delírio o teu coração vadio
Que se calem as pedras da calçada, sorriam
As ombreiras das portas, o vazio,

Seja por fim engolido no teu grito de amor
Tudo o que brilha ao sol traz no seio calor
Peço perdão à vida
Por ser curta e descabida, por ser vencida
Por um olhar castrador.



Máscara...

Sempre que adivinho a solidão alheia… É como se o espelho estivesse embaciado. E o meu rosto sugado por uma teia. Sempre que ...