domingo, 13 de setembro de 2015

Num choro...

Já esqueceu a espuma da praia em pecado
o rosto de uma criança! Esqueço eu e então
caminho dobrada ao meio, pela ilusão.
Apontei, refilei… Actor em palco desolado!

Cumpri a preceito o impulso roubado,
a todos os sonhos por cumprir. Na contramão
de um grito de terror, sou pobre ladrão
na circunstância da onda… Pelo lado errado!

Vislumbro a dor humana, arrepio caminho.
Mas que mente insana! Resta da onda espuma
de uma cor deslavada, só a brancura da alma,

risca as rochas de sangue! Contra natura
são as circunstâncias. Lá… Onde adivinho
todos os silêncios num choro afogado.



Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...