quinta-feira, 24 de setembro de 2015

O Outono e a Vida..

Uma a uma, tombam as folhas no chão,
por entre o verde resistente.
Penso comigo : gosto de ti!
Do dourado da pele, do cheiro a folhas secas.
Mas o outono é sempre a remissão de qualquer coisa!
Não há como ser diferente.

Tal como as folhas que caem das árvores,
cai aos meus pés a ilusão.
Despeço-me dos dias quentes.
No branquear da cabeça, em passo mortiço…
Tal como as folhas, também a saudade é maré!
Em debandada p`lo chão.

Uma a uma, tombam as folhas no chão,
e no outono de todos os contentamentos,
meu amor: vislumbra-se o inverno.
E com ele se abeiram os dias cinzentos…