domingo, 28 de junho de 2015

Vila Viçosa.

Por entre histórias de encantar uma flor,
um porto seguro por entre as pedras.
O memorar da tradição penetra a cor
de um dia de verão, escasseia a sombra…

Quarenta graus! Pele trigueira é o clamor
das paredes caiadas nas tardes ensolaradas,
suspiram os corpos: água! Alentejo suor
dos trigais de um loiro preso nas almas!

Ai linda terra de branco chão, cantam
as vozes da tradição! Ai nobre gente
provindo de além, onde o sonho emerge.

E o céu ao alto é coberta de cetim ardente!
Abraça com o bordão de então e com graça
A princesa do sul que é Vila Viçosa.

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...