quarta-feira, 31 de agosto de 2016

As nossas conversas...

Fala comigo; nas palavras traz melodia.
Dança comigo; mas nos passos traz as asas.
Sorri também e oferece aos lábios o dia.
Para que eles se atrevam a desviar as águas…

Correm nos meus olhos amiúde, maré vazia
por onde os sonhos se esvaem. Catacumbas
imagináveis às quimeras cor de terra.
Ao meu ser insatisfeito. Por outras palavras:

Fala comigo em voz serena. Na embriagues
da descoberta, fala comigo de outra maneira…
Não fales só de açucenas. No solo a languidez

de uma campina em flor. Por isso; sorri à eira
que os nossos passos palmilham e talvez…
As nossas conversas sejam o atear da fogueira.