sexta-feira, 13 de maio de 2011

Sede

Tenho sede
Sede de palavras belas
Francas janelas
Olhares abertos
Ao novo
Tenho sede
De amor sem juras
Que se sabem lonjuras
E na vida se perdem
Tenho sede
De um beijo dado
Sob a estrela da manhã
Quem sabe amanhã

Será o dia em que a fonte jorra
E a sede que tenho mate a desforra.

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...