quarta-feira, 11 de maio de 2011

Tempo

Tempo…

Meu amor quem fez o tempo
O que dele fez a espera
Meu amor o tempo é tempo
Que no tempo desespera

Em resumo simplifico
Tudo o que o tempo levou
Tudo aquilo que restou
De um tempo magnifico
Agora em outra era
O meu tempo é gélido
Porque este tempo de espera
É tempo encoberto, enredo

Que se alberga no sentir
De que tardas em chegar
Vejo a vida a fugir
E não sei te procurar.

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...