terça-feira, 20 de setembro de 2011

Finta

Abrigo fustigado aos ventos
Nos recantos majestosos
Perdidos nos filamentos
São teus olhos caprichosos

São estrelas da manhã
Fio de água da chuva
Pecados de rubra maçã
O fino mosto da uva

São teus olhos caprichosos
O bailar em campo aberto
Nos caminhos tortuosos
Por uma sombra encoberto

Nesses olhos eu descubro
O carácter de uma vida
Bem que tentas ficar mudo
Mas o teu olhar te finta.