sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Manhã

O ar da manhã
Trás saudade
Com ele odor
A pele
Trás o som
Dos passos
Que a dor repele
O sabor
De um beijo quente
No ar presente.

Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...