terça-feira, 3 de janeiro de 2012

O amor

O amor, o que é o amor aos olhos do dia
É folhagem fresca e leve maresia
Ou um ninho de penas, noites serenas
O que é o amor aos olhos da vida
É uma estrada sem curvas, comprida
O aconchego das tardes amenas

O amor é o eixo que tudo dirige
Uma certeza que se ergue em esfinge
O amor é o céu de asas libertas
O amor és tu quando te acercas

De passo incerto coração no olhar
Um misto de esperança num acreditar
O amor é o dia num despertar
Uma espera sem pressas num seguro olhar.