segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Zumbi

Que merda de vida a que inventei
Que caminhos tortuosos palmilhei
Os voos que forjei e não voei
Que futuro a desbravar enterrei

Ano após ano em que tombo
Num vazio gelado sem Inverno
Tenho por companhia o inferno
Da saudade por viver com estrondo