domingo, 8 de janeiro de 2012

Momento

Falta-me uma nesga de luz
Sei que assim é pelo silêncio
Nem quase sempre traduz
Esquecimento, mas o inquieto vazio
Deixa-me sinuosamente alerta
Curioso o silêncio que desperta
O vazio da saudade

Quem sabe é a tua voz
Ou o teu pensamento
Será talvez albatroz
Que voa um momento

Tão ternurento e feliz
É assim, eu te revivo
Com esse ar de petiz
Quando me olhas eu vivo

Ser poeta é utopia...

Não sei, nem sequer sei a cor dos dias frios!   Se o céu é azul ou cinzento afogueado.    Nada sei de  efémeras  fantasias.  Delírio...