terça-feira, 7 de outubro de 2014

Surpresa…

Se trazes ao meu peito o aroma do jasmim
Num sopro de uma manhã a despontar,
Ou então o suave murmurar
Da água que corre pelo campo em festim…

Se no fundo dos teus olhos vêem crateras,
A imensidão de um deserto ao luar.
Atreve-te nessa força a desbravar
Enfim, traz o desconhecido e sacia a almas…

A minha e a tua, só assim encaro o veredicto,
Ao entrar pela janela entreaberta.
Estranha noite de luar onde o grito
Que cortava o coração caiu por terra!

Trazes o infinito, será que vem para ficar  
Ou apazigua um coração impaciente.
Ânsia tresloucada, surpresa ao encontrar
Nos teus olhos um sereno convincente.