quinta-feira, 10 de novembro de 2016

As asas do sonho…

Ainda não vieste…
E já tenho saudades se um dia partires!

Não sei se é a chuva de outono,
quem me traz o teu rosto.
Ou se a tua voz vem no vento da tarde.
Não sei me chegas no sol, ou no frio.
Adivinho o teu abraço:
Nas nuvens que passam…
E sei que és tu!

Ainda não vieste e os olhos sorriem!
Sempre que te adivinham.
Por isso: Não percas tempo…
São todos os passos as asas do sonho.
E todos os momentos, vontade.

Que a certeza de amar empurra. 


Máscara...

Sempre que adivinho a solidão alheia… É como se o espelho estivesse embaciado. E o meu rosto sugado por uma teia. Sempre que ...