quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Pensar...

Às vezes penso, e quanto mais penso…
Mais me atrevo a pensar!
Às vezes penso que a chuva não molha o corpo.
Que o vento não varre o pó, que o céu está ali…
Às vezes choro e no choro descubro o sabor do riso.
Mas às vezes penso e quanto mais penso…
Mais me atrevo a pensar!

Neste rodopio eminente, ou no estrondo do ser…
No ver sem ver, as nuvens ou os pássaros.
E até as penas são alabastros!
Enquanto o mar se afoga nos sonhos…
Ou sonhos se afogam num mar sem espuma!

Nessas alturas quase sempre o dia termina…
Como sempre termina, na certeza de que amanhã:
O sol nascerá!

E eu penso…porque pensas se o pensar pesa.
Se o dia nasce e volta a nascer.
Enquanto  levas de vencida tão estranho, pensar!