quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Faz como o tempo...

Repara: E se o tempo seguisse a direito …
Será que os teus olhos deixavam o chão?
Onde te fixas sem aparente razão!
Será que da tua boca sairia o clamor?
Que aos meus ouvidos trouxesse; emoção.
Ou uma balada ao por do sol…

Mas se o tempo corre em caracol,
onde somos marionetas,
de mãos abertas, suspensas…
Actores de um palco despido ao nascer!
No primeiro acto… horas incertas.
Como iremos viver?

Faz como o tempo …
Dá tempo ao tempo e a ti mesmo.
Nas mãos abertas, deixa que escorra a esperança.
Nos olhos a descoberta e no coração a força.
 Faz como o tempo, olha em redor…
Deixa aos pés o direito de escolher:
Todos os passos sem medo.