terça-feira, 27 de maio de 2014

Ainda...


Ainda o verbo amar
Tresloucado no dar
Pedaços de mim.

Rolam ladeira acima
Em fiapos de luxuria
Às vezes são penúria
E aí…
Sou pelintra.

Outras são flocos de neve
Nos teus olhos.
Braseiro no meu aconchego
São até vê bem, brisa breve
Que apazigua o espírito
Das almas vadias.

Que tal como eu, sonham…
Com palavras bonitas,
Prendas atadas com fitas,
As que nunca me deste.

Ainda o verbo amar
Maneira triste de errar
Ou talvez não.


Depende da imaginação.


Ai de mim...

Deixa que adormeça na terra árida. Que o tojo seja o cobertor dos dias frios. A aurora seja o sinal que a alma aguarda. E o vento o ...