domingo, 4 de maio de 2014

Acto de parir


Devia dizer
O que os olhos querem ver
Meto a mão ao coração
Que aflição
Despi-me de palavras belas
Que fiz delas

Se o dia fosse terno
Mas em volta desespero
Mulheres de olhos no chão
Ao trambolhão
Penso comigo porquê
Porquê…

Até o acto de parir
Distinto no destino
Grosso modo o sorrir
Se perde o cretino.




Maria… Um Conto de Natal...

- Maria: é o meu nome. - Porquê, Maria? Retorquiu a criança de olhos arregalados. - De onde eu venho todas as mulheres são, Marias. ...