segunda-feira, 13 de abril de 2015

Ora os beijos...

O céu trouxe-me o mar!
Onde navegadores cruzaram sonhos,
logo hoje… prestes a naufragar!
Tal Nau Catrineta.

E se a tarde trouxesse uma sinfonia,
e o som das gaivotas viesse também.
Permaneceria fechada na fantasia,
mesmo que um poema me fizesse refém.

Logo hoje…
Em que pensei calar o turbilhão das águas,
Que correm loucamente na ribeira da alma.
A cor do mar… Faz-me sorrir!
E aí, não há cansaço que me vença,
nem madorna que dite a regra.
Como música de fundo Chopin.
E com ela todas as noites são propícias
ao amor! Dançam por fim os golfinhos,
no meu olhar!
E contigo que vieste na brisa do mar,
deslizam os versos por inventar.
 E os beijos, ora os beijos… são os golfinhos a brincar!




Os sonhos chegam nas trindades…

Em qualquer canto ouço a voz dos dias!... Traz ao de cima as fantasias. Mas qualquer canto ensurdece o vento. Mesmo que o intento po...